fbpx

Jornal

TAXA CONDOMINIAL

De acordo com a maioria das convenções condominiais e por determinação do Código Civil, anualmente o síndico deve propor à assembleia o orçamento das despesas e das receitas do ano seguinte. Uma vez aprovado o orçamento, o condômino deve pagar sua cota-parte mensalmente. Dessa forma, as taxas mensais são iguais para o ano  todo. Se no decorrer do ano houver despesas extraordinárias ou investimentos que não podem ser suportados pelo fundo de reserva, o síndico poderá cobrá-los com as taxas condominiais mensais. Muitos síndicos preferem fazer rateio das despesas mensalmente. Dessa forma, a cada mês, a taxa condominial tem um valor diferente.  Além dessa forma não atender à convenção nem à lei, ainda traz transtornos ao síndico com  reclamações de condôminos quando a taxa condominial sobe. O escritório que faz a contabilidade do condomínio também trabalha mais com essa forma de rateio, pois tem que correr para fazer a folha de salários e encargos e ainda ir atrás das despesas do mês para calcular a taxa condominial. Quanto ao condômino, essa forma de rateio também o incomoda, pois ele não sabe qual será o valor da taxa do mês seguinte.

Leia mais »

CURSOS EM VÍDEOS

Nossos sistemas têm muitas ferramentas importantes que facilitam sua vida, mas muitos não as utilizam, ora por desconhecimento, ora por não saberem como usá-las. A partir de julho, vamos editar vários vídeos de curta duração dando dicas de como  utilizar as ferramentas dos nossos sistemas. Através desses vídeos, de forma simples e segura, com certeza vamos facilitar o seu trabalho.

Leia mais »

DCTF X DCTFWeb

São arquivos e mais arquivos. Existe a DCTF (Declaração de Débitos e Créditos Tributários Federais), uma obrigação tributária acessória que as empresas utilizam para declarar os débitos e créditos de contribuições e tributos federais, e a DCTFWeb (Declaração de Débitos e Créditos Tributários Federais Previdenciários e de Outras Entidades e Fundos). Trata-se a segunda também de obrigação tributária acessória por meio da qual o contribuinte confessa débitos de contribuições previdenciárias e de contribuições destinadas a terceiros. DCTFWeb é também o nome dado ao sistema utilizado para editar a declaração, transmiti-la e gerar o documento de arrecadação. A nova declaração e seu sistema vieram para substituir a GFIP e o Sefip… bem… pelo menos é o propósito. Se vai ou não acabar a velha GFIP/Sefip, só o tempo dirá.

Leia mais »

DCTFWeb: CONFIRA JÁ

Em agosto, a guia da Previdência será emitida através da DCTFWeb para todas as empresas e entidades dos grupos 1 a 3. Não deixe para a última hora, comece já a verificar se as informações do período de apuração de maio e junho do corrente ano estão corretas. Se os valores da Previdência do aplicativo estiverem diferentes dos valores da folha de pagamento, você precisa fazer os acertos. Vamos fazer um vídeo dando mais detalhes sobre a DCTFWeb. Por ora, para você conferir os valores da Previdência que já estão na base de dados da DCTFWeb, siga os passos: a) entre no e-CAC; b) em Localizar Serviços, digite: DCTFWeb; c) clique em Assinar e transmitir DCTFWeb (pode ocorrer de já entrar no aplicativo logo no item b). Pronto. O aplicativo vai demonstrar os valores que estão na sua base de dados. Confira esses valores com a sua folha. Em quais circunstâncias pode a base dados da DCTFWeb não bater com os valores da sua folha? Dentre tantas circunstâncias, alguns exemplos: cadastro errado da classificação tributária, fap, código de terceiros ou Rat e a falta do envio das retenções através do Reinf. Lembramos também que pra serviços TOMADOS que houve retenção,  agora o valor será agregado junto a DCTFWeb.

Leia mais »

ESTAMOS APRIMORANDO

Ao gerar o Relatório da Folha de Pagamento da Sibrax, você poderá enviar os eventos da folha para o eSocial depois de conferidos e de estar tudo correto. A nova ferramenta vai gerar uma tela para você enviar os arquivos. Basta clicar em Transmitir agora. Uma vez enviados, essa tela não vai mais aparecer quando você gerar novamente o relatório, se não houver alteração nos eventos ou valores. Se você alterar algum evento ou valor na folha, aparecerá novamente a tela para enviar a alteração ao eSocial. Como na primeira vez, basta clicar em Transmitir agora. Comece já a enviar a folha de junho, não deixe para a última hora, pode não dar tempo. Ah! Não deixe de atualizar sua versão da Folha!

Leia mais »

AGORA NO BB

A Sibrax emitiu os boletos da mensalidade através da empresa Zoop para testar o serviço. Foi aprovado, não tivemos problema na remessa nem no retorno dos arquivos.  Tudo foi automático. Portanto, caso você queira esse serviço por ser automático e com tarifa mais em conta, já pode usá-lo. Neste mês, vamos fazer a cobrança dos boletos da Sibrax pela plataforma do Banco do Brasil para testar o serviço. A remessa e o retorno dos arquivos também são automáticos, e a tarifa por boleto é a menor que se tem notícia. Vale a pena!

Leia mais »

DÊ SEU CIENTE NO TERMO DE USO DA SIBRAX

A Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD), Lei nº 13.709, de 14 de agosto de 2018, dispõe sobre o tratamento de dados pessoais, inclusive nos meios digitais, por pessoa natural ou por pessoa jurídica de direito público ou privado, com o objetivo de proteger os direitos fundamentais de liberdade e de privacidade. Já está disponível o Termo de Uso e Política de Privacidade da Sibrax para você tomar conhecimento e dar o seu aceite. Até agosto próximo, você também terá que ter o seu Termo de Uso e Política de Privacidade. Estamos trabalhando um modelo para fornecer a você gratuitamente. Aguarde. Assim que estiver pronto, vamos encaminhá-lo.

Leia mais »

MENOS TRABALHO E MAIS DINDIM

Para quem usa o sistema de Condomínio ou de Nota Fiscal da Sibrax, temos novidades que reduzem seu trabalho e, ao mesmo tempo, diminuem suas despesas bancárias. O Banco do Brasil está com uma plataforma de cobrança interessante, onde você não precisa fazer remessa nem baixa de recebimento de boletos. É tudo automático mesmo. Para isso, é claro que o sistema que emite boleto tem de estar adaptado a essa plataforma, e os sistemas da Sibrax estão. O Banco do Brasil está com uma tarifa bancária também atraente para quem usa sua plataforma. Quem quiser usar outros bancos poderá utilizar a plataforma da Zoop. A Sibrax fez parceria com essa empresa também. Do mesmo modo, usando essa plataforma, você não precisa fazer remessa nem retorno de arquivos de boletos. O custo por boleto  nessa plataforma é de R$ 2,30. Entre em contato com nosso departamento de vendas e saiba mais: fone (43)3372-1330 . Dia a dia a Sibrax inova, e quem ganha é você.

Leia mais »

VIRTUAL NA PANDEMIA E DEPOIS TAMBÉM

Em virtude da pandemia, visando ao distanciamento social, o governo sancionou a Lei 1.410/2020 permitindo assembleia virtual a diversas entidades, inclusive condomínios. Todavia a referida lei teve vigência até 30/10/2020. As reuniões de pessoas para deliberações sociais, independentemente de pandemias, tendem a ser virtuais. As vantagens são inúmeras. No caso de assembleia condominial, na vigência da lei, as deliberações nessa modalidade foram legais. Como a lei já prescreveu, cada condomínio pode alterar a sua convenção para inserir a assembleia em formato virtual. Além de criar assembleia virtual, também pode criar a convocação de assembleias através das redes sociais, como: WhatsApp, Messenger e outros meios de comunicação que poderão surgir. A SIBRAX tem o aplicativo de assembleia virtual, que é o maior sucesso. Além da assembleia, o aplicativo faz a convocação, apura os votos e não permite o inadimplente votar.

Leia mais »

ACIDENTE DE TRAJETO

O acidente do empregado no percurso da residência para o local de trabalho ou deste para aquela, qualquer que seja o meio de locomoção, inclusive veículo de propriedade do segurado, constitui  acidente de trabalho nos termos da alínea “d” do inciso IV do art. 21 da Lei 8.213/91. Por um lapso de tempo entre 12/11/2019 e 20/4/2020, o acidente de percurso deixou de ser acidente de trabalho em virtude da Medida Provisória 905/19 que revogou o art. 21 da Lei 8.213/91. Todavia a Medida Provisória 955/20 revogou a Medida Provisória 905/19 e, com isso, o art. 21 da Lei  8.213/91 foi restabelecido. De acordo com o artigo 118 da Lei nº 8.213/91, o segurado que sofreu acidente de trabalho tem garantida, pelo prazo de 12 meses, a manutenção de seu contrato de trabalho na empresa, após a cessação do auxílio-doença acidentário, independentemente de percepção de auxílio-acidente.

Leia mais »