7 principais mudanças com o novo Simples Nacional

O Simples Nacional é um regime tributário indicado para empresas que contam com margem de lucro média ou alta.

Esse regime tributário, que objetiva simplificar a arrecadação de impostos no Brasil, vai passar por algumas mudanças em 2018. Essas mudanças impactam a rotina de empreendedores e contadores e é preciso estar muito atento a cada uma delas.

Acompanhe, neste artigo, as principais mudanças do Simples Nacional em 2018!

Mudanças com o novo Simples Nacional

#1 Limite de Faturamento

O limite do Simples Nacional mudou de R$ 3,6 milhões anuais para R$ 4,8 milhões.

#2 Fator R e seu impacto na apuração de impostos

No Novo Simples, cria-se uma relação entre folha de pagamento e faturamento diferente da que existia, ambos relativos aos últimos 12 meses. Para isso, é necessário ter o controle da Folha de Pagamento para calcular o Simples Nacional com exatidão.

Resumindo, se a Folha de Pagamento representa 28% ou mais, usa-se o anexo III. Se for menor, o anexo V.

#3 Inclusão de novas atividades no Simples Nacional 2018

Entre as principais novidades, temos os micro e pequenos produtores e atacadistas de bebidas alcoólicas (cervejarias, vinícolas, licores e destilarias).

#4 Limite do MEI (Microempreendedor Individual)

O MEI (microempreendedor individual) possuía um limite de faturamento de R$ 60 mil e, atualmente, esse limite passou para R$ 81 mil anuais.

#5 Investidor Anjo

Essa modalidade traz para as pequenas empresas em geral, principalmente para as Startups, o benefício de receberem investimentos de pessoas físicas ou jurídicas, em troca de participação das mesmas nos lucros auferidos.

O diferencial é que não tem a necessidade do ingresso do investidor no contrato social como sócio-administrador. Isso isenta esses investidores dos riscos em relação às dívidas do empreendimento, que caberão somente aos sócios.

#6 Alíquotas

É fundamental atentar-se a qual anexo a empresa deve tributar as suas atividades, visto que houve mudança.

A alíquota inicial de alguns anexos ainda permanece a mesma, mas à medida que o faturamento da empresa aumenta, é natural que a alíquota da empresa acompanhe o aumento.

#7 Fiscalização da empresa no Simples Nacional

O processo de fiscalização das empresas enquadradas no Simples Nacional tornou-se integrado. Compartilham informações a Receita Federal, a Receita Estadual e Prefeituras.

A efetivação dessas alterações no Simples Nacional possibilita diversos avanços ao empreendedorismo e para quem quer ter seu próprio negócio e já pensa em optar por esse regime tributário.

E aí, gostou deste artigo? Ainda tem alguma dúvida sobre as mudanças do Simples Nacional 2018? Deixe um comentário para nós.

Aproveite e se inscreva em nossa Newsletter e receba em primeira mão as novidades do setor contábil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *